Cuidados com o hipertireoidismo na gravidez

Na gravidez, o tamanho da tireoide da mãe aumenta, e maior será a produção dos hormônios tireoidianos T4 e T3. Isso acontece porque o hormônio gonadotrofina coriônica humana (hCG) produzido pela placenta estimula a tireoide materna a produzir maior quantidade dos hormônios T4 eT3 que serão transportados pela placenta ao feto. Esses hormônios produzidos pela mãe são muito importantes para o desenvolvimento do bebê, principalmente nas 12 primeiras semanas de gravidez, período em que a tireoide fetal está se formando.

O hipertireoidismo durante a gestação caracteriza-se pela produção excessiva dos hormônios T4 e T3 e, nessas circunstâncias, esses hormônios causam redução da produção do TSH. Os sintomas do hipertireoidismo na grávida são pele fina, quente, úmida e pegajosa, tremor fino nas mãos, taquicardia, palpitação, ansiedade, sudorese e calor em excesso, olhar fixo, brilhante e pálpebras retraídas. Ao examinar o pescoço pode ser notado aumento do volume da tiroide.

Cuidados com o hipertireoidismo na gravidez

A principal causa do hipertireoidismo na gestação é a tireotoxicose transitória gestacional que acontece nas primeiras doze semanas e é causada por elevação do hCG. Nesses casos, a presença de vômitos, manifestações leves de hipertireoidismo, ausência de história prévia de doença da tireoide, inexistência de queixas oculares e falta de aumento da tireoide ao exame físico favorecem o diagnóstico. O tratamento indicado é hidratação e, se necessário, beta-bloqueadores em baixas doses por curto período.

Outra causa de produção excessiva de hormônios tireoidianos na gravidez é a doença de Graves. Nesses casos o hipertireoidismo pode ser leve, moderado ou severo e a dosagem do TRAb, anticorpo anti-receptor de TSH, é positiva. O tratamento consiste em medidas de suporte e, se necessário beta-bloqueadores e tionamidas, sendo o propiltiouracil indicado nas primeiras 16 semanas de gravidez e o metimazol a partir da 16ª semana de gestação. Essas medicações são utilizadas na menor dose e no menor tempo possível.

Outras causas de aumento dos hormônios tireoidianos é a ingestão de dose excessiva de levo-tiroxina para o tratamento do hipotireoidismo, e o tratamento nesses casos consiste na redução da dose da medicação.

A gestação múltipla, a tireoidite subaguda e os nódulos de tireoide também podem causar aumento da produção dos hormônios tireoidianos. Diante da identificação de nódulos de tireoide ao exame físico, a ecografia de tireoide é realizada para confirmação, caracterização dos nódulos e avaliação da necessidade de punção.

Os exames cintilografia com radionuclídeo e a captação com radioiodo são contra-indicadas durante a gravidez.

Dra. Maria de Fátima de Magalhães Gonzaga

Endocrinologista, com título de especialista pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia e mestrado em Ciências da Saúde pela Universidade de Brasília. Especialista em Clínica Médica, com experiência na área de Medicina Interna. Atualmente, é responsável pelo ambulatório de diabetes mellitus e pelo ambulatório de endocrinologia geral do Hospital Universitário da Universidade de Brasília. Atua como preceptora de ensino e coordenadora da Residência Médica em Endocrinologia e Metabologia na mesma instituição.

Agendamento de Consulta com Dra. Maria de Fátima De Magalhães Gonzaga

Leia mais a propósito dos assuntos relacionados:

Artigo publicado em 20 de novembro de 2017. Para ler mais textos sobre saúde, acesse nossa página de artigos.